Guimarães estende PAYT para o centro da cidade
AS NOSSAS
NOTÍCIAS
Guimarães estende PAYT para o centro da cidade

Guimarães estende PAYT para o centro da cidade

A VITRUS Ambiente vai sair à rua para informar os novos utilizadores PAYT e distribuir equipamentos para apoiar a adoção de novos hábitos sustentáveis.

Começa esta segunda-feira a campanha de sensibilização porta a porta para a implementação do sistema PAYT na zona envolvente ao Centro Histórico de Guimarães. A equipa da VITRUS Ambiente, responsável pela gestão do projeto, vai deslocar-se a todas as habitações e estabelecimentos comerciais para esclarecer e informar sobre a nova forma de pagamento da tarifa de resíduos nesta área e oferecer um conjunto de ecopontos, bem como de sacos para resíduos indiferenciados e seletivos. “Queremos contactar diretamente os novos utilizadores da tarifa PAYT para que fiquem esclarecidos sobre o sistema e de todas as alterações envolvidas. A oferta de sacos e de ecopontos serve de incentivo à alteração de hábitos diários de deposição de resíduos. Como queremos que a taxa de separação aumente, estamos a oferecer condições para que tal situação aconteça”, refere Sérgio Castro Rocha, Presidente do Conselho de Administração da VITRUS. Na impossibilidade de a equipa contactar com o novo utilizador, por não se encontrar na habitação/estabelecimento, será deixada uma mensagem na caixa do correio a informar sobre a intenção de oferta e incentivar o munícipe a agendar uma hora para uma nova visita.

Os restantes meses de 2020 vão servir de período de adaptação às novas práticas, sendo que a VITRUS continuará a oferecer os sacos autorizados e a manter ações de sensibilização e de esclarecimento a todos os novos utilizadores PAYT. Em janeiro de 2021 será aplicada a tarifa PAYT e, a partir desse momento, a aquisição dos sacos será obrigatória. A recolha é feita em contentores de profundidade e, quando esta não é possível, porta a porta. Em ambos os casos, os utilizadores devem  sempre utilizar os sacos autorizados. É precisamente através da futura aquisição desses sacos PAYT, apenas para os resíduos indiferenciados, que o munícipe passará a pagar a sua tarifa de gestão de resíduos. Os resíduos seletivos são de recolha gratuita e não precisam de ser acondicionados em nenhum saco específico. Assim, quando menos resíduos se produzir e quando melhor se fizer a separação, menos sacos se gasta e, consequentemente, menos se paga. A aquisição dos sacos autorizados será obrigatória e quem não o fizer, segundo o Regulamento Municipal da Gestão dos Resíduos Urbanos, estará em incumprimento perante o pagamento da sua tarifa de resíduos.

Inicialmente, o PAYT foi implementado na zona intramuros do Centro Histórico como uma zona piloto. Em 2020 prepara-se para avançar para a zona envolvente que inclui ruas como o Largo do Toural, Alameda de São Dâmaso, Rua de Sto. António, Gil Vicente, Avenida D. Afonso Henriques, entre muitas outras. A VITRUS está responsável pela recolha de resíduos nesta área que a partir de agora passa a ser considerada zona PAYT.

Em 2016 o sistema PAYT iniciou-se em Guimarães, de forma pioneira em Portugal e até hoje conseguiu alcançar resultados verdadeiramente positivos na área do ambiente, mais precisamente na separação de resíduos, tanto que é um exemplo para inúmeros municípios por todo o país. Os objetivos do PAYT são simples: incentivar a população para a adoção de hábitos sustentáveis para mitigar a produção de resíduos e, dentro desta, reduzir a fração de resíduos indiferenciados e aumentar a fração dos materiais seletivos. Guimarães só conseguirá ser mais verde se o Município e as empresas municipais incentivarem os cidadãos e criarem todas as condições para que consigam mudar comportamentos.

Partilhar Post:

0 Comentários

Deixe um Comentário

Posts relacionados: