TSF destaca sistema PAYT (pay-as-you-throw)
AS NOSSAS
NOTÍCIAS
TSF destaca sistema PAYT (pay-as-you-throw)

TSF destaca sistema PAYT (pay-as-you-throw)

Jornalista registou maior adesão de utilizadores domésticos

Lixo: Moradores do Centro Histórico de Guimarães só pagam o que produzem

Uma viatura elétrica passa a diferentes horas do dia para proceder à recolha em cada casa ou estabelecimento comercial. Hermínia aguarda na soleira da porta que a equipa chegue. "Até aqui tinha que mandar comprar os saquinhos para o lixo, mas agora até os vêm trazer à porta. Além disso, deixou de se ver lixo na rua, está tudo muito mais limpo", elogia.

A tarifa do lixo deixou de ser paga em função da água consumida e os moradores passaram a pagar 34 cêntimos por cada saco de 30 litros. O reciclável é recolhido gratuitamente. Quer isto dizer que quanto mais lixo for separado menos paga o utilizador. "Se até eu aprendi a separar o vidro do cartão e do plástico, que tenho 83 anos", atira Hermínia, moradora do Centro Histórico.

Se nos estabelecimentos comerciais o novo sistema está em pleno funcionamento, nos utilizadores domésticos ainda há resistências. "Muitas vezes não querem perceber. Dizem que não percebem a finalidade do sistema e nesses casos vamos falar com as pessoas e explicamos que o sistema garante um benefício na fatura de resíduos para quem faz a reciclagem. No final, acabam por aderir e comprar os sacos", revela Dalila Sepúlveda, a autora do projeto.

O sistema PAYT é obrigatório para quem mora no perímetro do Centro Histórico e quem não cumpre tem levado, para já, advertências, mas estão previstas multas que começam nos 250 euros. O objetivo é promover a reciclagem e reduzir o impacto ambiental.

"O PERSU [Plano Estratégico para os Resíduos Urbanos] 2020, que temos que cumprir, tem como metas a diminuição da produção de resíduos e o aumento exponencial da recolha seletiva. E nestes três meses - de funcionamento do PAYT em Guimarães - a recolha seletiva já aumentou mais de 100%, ou seja, as pessoas estão a separar mais e, por outro lado, diminuímos a quantidade de resíduos depositados na rua", adianta Dalila Sepúlveda.

Desde o início de abril, quando o sistema entrou oficialmente em vigor, depois de uma fase experimental, foram vendidos cerca de 1200 sacos a um universo de 600 utilizadores, entre moradores e comerciantes.

TSF Liliana Costa

Partilhar Post:

0 Comentários

Deixe um Comentário

Posts relacionados: